[Vandal Hearts (1997), Playstation] Uma referência a O Mágico de Oz (1939), de Victor Fleming. Os personagens são engolidos por um vórtice que esgarça o “tecido do espaço-tempo” (o vocabulário é anacrônico dentro da ambientação medieval do jogo), caem em outra dimensão e fazem esse comentário de efeito (impossível para eles, mas o roteirista pôs assim mesmo). A frase “eu acho que não estamos mais no Kansas” e suas variantes, eu descobri por conta deste post, foi usada incessantemente pelo cinema. Duvido você reconhecer todos os filmes que a usaram e que estão neste vídeo.

Duanne Ribeiro é jornalista, escritor e pesquisador em ciência da informação e filosofia. Em jornalismo, formou-se pela Universidade Santa Cecília (Unisanta). É mestre em Ciência da Informação — com a dissertação “A Criatividade do Excesso – Historicidade, Conceito e Produtividade da Sobrecarga de Informação” —, bacharel em Filosofia pela Universidade de São Paulo e especializado em Gestão de Projetos Culturais pelo Centro de Estudos Latino-Americanos sobre Cultura e Comunicação (Celacc), ligado à USP. Publicou, pela editora Patuá, o romance As Esferas do Dragão (2019). É analista de comunicação para o Itaú Cultural e editor da revista Úrsula.
Post criado 310

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.

De volta ao topo