Rastros

O Caos é uma Escada

Publicado em

[Game of Thrones, 3ª temporada, episódio 6, “The Climb”, a partir de 48’] “Chaos isn’t a pit. Chaos is a ladder. Many who try to climb it fail and never get to try again. The fall breaks them. And some are given a chance to climb, but they refuse. They cling to the realm or the gods or love. Illusions. Only the ladder is real. The climb is all there is.”

Ensaio & Crítica

Página Branca em Mãos Hábeis

Publicado em

[House of Cards, 1ª Temporada, episódio 6, em 24’09’’] “What’s better than a blank slate in the right hands?”, responde Frank Underwood à objeção de que sua indicação para candidato a governador não era conhecida nem tinha estrutura. O que é melhor do que uma folha branca em mãos capazes? Lembrei dos “postes” do Lula — Fernando Haddad, Alexandre Padilha — políticos que o ex-presidente bancou com sua expertise. Desconsidere as manobras espúrias da série: o que importa aqui é o que se pode desenvolver a partir de um elemento fresco.

Ensaio & Crítica

Evangelion

Publicado em

-Neon-Genesis-

Publiquei no Digestivo Cultural a crítica Neon Genesis Evangelion, sobre a série de animação japonesa e mangá com esse título. Eu escrevi:

Desde outubro, o mangá Neon Genesis Evangelion está sendo republicado pela editora JBC – é a chance de conhecer ou redescobrir uma das franquias mais relevantes dos quadrinhos e da animação japonesa. No Japão, a HQ foi lançada em fevereiro de 1995, como um modo de divulgar sua versão em animação, e ainda não foi concluída. O anime, exibido a partir de outubro daquele ano e encerrado em 1996, alcançou sucesso e repercussão; em 2007, foi considerado por uma agência do Ministério de Educação japonês como o melhor de todos os tempos. A série pode ser comparada a Sandman, de Neil Gaiman; Watchmen, de Alan Moore; ou Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller – na medida em que também representa um salto de maturidade dentro de seu gênero.

Ensaio & Crítica

O Médico e o Monstro

Publicado em

Dexter_Morgan

Publiquei no Digestivo Cultural a crítica Dexter Versus House, uma crítica com recursos de conto, um conto com recursos de crítica. Um “conto-crítica”, como eu chamei, que narra um encontro entre os protagonistas das séries DexterHouse, enquanto as analisa. Eu escrevi:

Pode-se dizer que o conceito central de Dexter é controle; e o de Houseanomalia – não só no âmbito restrito do enredo e dos temas citados. É tanto mais interessante perceber tais elementos no modo como as séries retratam os relacionamentos humanos.

A imagem que ilustra esse post, eu a descobri só recentemente — me alegra: é a mesma inspiração.