Notas

O Caos é uma Escada

Publicado em

[Game of Thrones, 3ª temporada, episódio 6, “The Climb”, a partir de 48’] “Chaos isn’t a pit. Chaos is a ladder. Many who try to climb it fail and never get to try again. The fall breaks them. And some are given a chance to climb, but they refuse. They cling to the realm or the gods or love. Illusions. Only the ladder is real. The climb is all there is.”

Crítica Cultural

Página Branca em Mãos Hábeis

Publicado em

[House of Cards, 1ª Temporada, episódio 6, em 24’09’’] “What’s better than a blank slate in the right hands?”, responde Frank Underwood à objeção de que sua indicação para candidato a governador não era conhecida nem tinha estrutura. O que é melhor do que uma folha branca em mãos capazes? Lembrei dos “postes” do Lula — Fernando Haddad, Alexandre Padilha — políticos que o ex-presidente bancou com sua expertise. Desconsidere as manobras espúrias da série: o que importa aqui é o que se pode desenvolver a partir de um elemento fresco.

Crítica Cultural

Evangelion

Publicado em

-Neon-Genesis-

Publiquei no Digestivo Cultural a crítica Neon Genesis Evangelion, sobre a série de animação japonesa e mangá com esse título. Eu escrevi:

Desde outubro, o mangá Neon Genesis Evangelion está sendo republicado pela editora JBC – é a chance de conhecer ou redescobrir uma das franquias mais relevantes dos quadrinhos e da animação japonesa. No Japão, a HQ foi lançada em fevereiro de 1995, como um modo de divulgar sua versão em animação, e ainda não foi concluída. O anime, exibido a partir de outubro daquele ano e encerrado em 1996, alcançou sucesso e repercussão; em 2007, foi considerado por uma agência do Ministério de Educação japonês como o melhor de todos os tempos. A série pode ser comparada a Sandman, de Neil Gaiman; Watchmen, de Alan Moore; ou Cavaleiro das Trevas, de Frank Miller – na medida em que também representa um salto de maturidade dentro de seu gênero.

Crítica Cultural

O Médico e o Monstro

Publicado em

Dexter_Morgan

Publiquei no Digestivo Cultural a crítica Dexter Versus House, uma crítica com recursos de conto, um conto com recursos de crítica. Um “conto-crítica”, como eu chamei, que narra um encontro entre os protagonistas das séries DexterHouse, enquanto as analisa. Eu escrevi:

Pode-se dizer que o conceito central de Dexter é controle; e o de Houseanomalia – não só no âmbito restrito do enredo e dos temas citados. É tanto mais interessante perceber tais elementos no modo como as séries retratam os relacionamentos humanos.

A imagem que ilustra esse post, eu a descobri só recentemente — me alegra: é a mesma inspiração.