Um Filme Sérvio

Posted Leave a commentPosted in Sem categoria

Publiquei no Digestivo Cultural a crítica A Serbian Film: Indefensável?, sobre o polêmico filme de horror proibido não só em território nacional como em outros países. Eu escrevi: A Serbian Film teve sua exibição proibida em território nacional em 9 de agosto. A Justiça Federal decidiu-se pela censura porque o filme “simula a participação de recém-nascido […]

Revelar a Notícia

Posted Leave a commentPosted in Sem categoria

De vez em quando alguém repara que a São Paulo antiga se desfigura, os prédios imensos tomando o lugar das casas de séculos passados. Talvez tenha surgido daí a inspiração para a pauta de “Três imóveis são demolidos por dia em SP“, matéria do Estadão. O trabalho de reportagem aparece não só na percepção da […]

Cairo fala

Posted Leave a commentPosted in Sem categoria

Um artigo interpretativo, uma reportagem, uma crônica sobre o Egito. O texto “Greeting the Unthinkable: Mubarak on Trial“, de Anthony Shadid, publicado pelo New York Times (traduzido pelo Estadão, “O Faraó na Jaula: Mubarak no Banco dos Réus“), reúne qualidades desses três gêneros e oferece um panorama das mudanças em curso naquele país. Shadid apresenta […]

Elizabeth Bishop e o Brasil

Posted Leave a commentPosted in Sem categoria

Publiquei no Digestivo Cultural a crítica O que este país tão longe ao sul tem a oferecer, sobre a peça Um Porto para Elizabeth Bishop, com direção de José Possi Neto e atuação de Regina Braga. Eu escrevi: Regina interpreta uma Bishop frágil, desejosa de atenção, que vê o mundo com ironia ou fascínio, recortada por […]

Jornalismo-Camaleão

Posted Leave a commentPosted in Sem categoria

Xico Sá, na crônica “Direito de Imagem e Direito de Queimar o Filme“: No meu ideal de jornalismo, nem entrevistar pessoas é preciso, quanto mais autorização para publicar foto. O ideal — senta que lá vem tese delirante deste blogueiro! — é observar os possíveis personagens, deixá-los falar o que eles já estariam falando naquele […]

Como se Faz Fantasia

Posted Leave a commentPosted in Sem categoria

Publiquei no Digestivo Cultural a crítica A Fantasia Verossímil, ou: Thor, abordando nem tanto o filme, mas sim quais os seus elementos que nos permitem explorar como histórias de fantasia são criadas — quais suas balizas, suas condições de possibilidade. Eu escrevi: A fantasia é algo que funciona apenas como um sistema restrito de coerências, dependente de […]