Ciência da InformaçãoFilomatia

Fases Finais do Projeto

A dissertação de mestrado deve ser depositada e defendida em agosto. Neste momento, portanto, alguns capítulos já vão chegando à sua fase final; os mais avançados são o capítulo 4, que trata do conceito de informação (trazendo um panorama que abrange concepções ontológicas, matemáticas, linguísticas, cognitivistas, socioculturais e materiais), e o capítulo 5, que remonta as manifestações da sobrecarga de informação desde a antiguidade. Conforme eu for fechando os capítulos, vou postando por aqui alguns trechos.

Aqui um pedaço do 4:

(…) são as necessidades dos grupos (o quem de que tratamos, que se pode resumir em usuários e profissionais de informação) que definem, no fim das contas, o que é informativo, e, por consequência, o que é informação. O que é informativo se refere a uma certa atividade, um momento do ciclo informacional. Por extensão, as “sobrecargas” se dão em relação aos usuários e profissionais e às circunstâncias em que lidam com a informação. O que sobrecarrega depende dessa circunscrição. A geração de conteúdo pode ser excessiva, os resultados das coletas podem ser abundantes demais, as tarefas de organização e interpretação podem demandar um trabalho e um tempo não disponíveis, a carga pode superar a capacidade de armazenamento, a exigência de disseminar, escoar o que se produziu e mantém, pode se tornar lenta e travada.

O trecho da pesquisa que analisa o vínculo entre a sobrecarga e a história da Ciência da Informação foi apresentado como comunicação oral no Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (Enancib) ano passado. Leia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *