Jornalismo

Um Perfil e uma Piscina de Sangue

[Piauí, nº 95, agosto/2014] Consuelo Dieguez perfilou Paulo Skaf, presidente licenciado da Fiesp e candidato ao governo de São Paulo, para a Piauí. No texto, lemos: "Luiz Antônio Fleury Filho — que logo depois se tornaria o coordenador da campanha de Skaf — também se referiu à inequívoca vitória. Principal consultor da candidatura em matéria de segurança pública, Fleury Filho governava o estado quando a polícia assassinou 111 presos, no massacre do Carandiru". O nome me lembra imediatamente “Diário de um Detento”, dos Racionais. “Avisa o IML, chegou o grande dia. Depende do sim ou não de um só homem, que prefere ser neutro pelo telefone. Ratatatá, caviar e champanhe: Fleury foi almoçar, que se foda a minha mãe”. E também: “Rátátátá, Fleury e sua gangue vão nadar numa piscina de sangue”.

(Neste post, eu citei Alexandre Padilha e o referendo de Lula à sua posição como candidato; quem lesse os perfis nos links veria que esse referendo era bem menos convicto do que o dado à Fernando Haddad. Segundo a reportagem sobre Skaf, o apoio à Padilha já ruiu no campo interno, mesmo aquela confiança inicial não existe mais.)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *